A Igreja admite que não é proprietária de mil dos 35.000 imóveis não registrados

O presidente de governo, Pedro Sanchez, reuniu-se nesta segunda-feira com o Conferência Episcopal em que, conforme anunciado pelo próprio Executivo, acordaram que a Igreja deve devolver mil bens. No entanto, a lista de ativos não registrados da instituição está localizada perto de 40.000.

A reunião foi convocada menos de uma semana depois da reunião entre o Presidente da Conferência Episcopal, Juan José Omella Omella, e o Ministro da Presidência, Relações com os Tribunais e Memória Democrática, Félix Bolanos.

A reunião tratou da revisão das listas de bens registrados pela Igreja, proteção social, abuso infantil e implementação da lei de educação.

Especificamente, em relação aos ativos, o Governo indica que tem sido “um estudo abrangente“. “A análise realizada pela Igreja (…) revelou um conjunto de bens que a instituição considera eles pertencem a terceiros ou você não conhece a propriedade deles o mesmo”.

De acordo com o documento, é “aproximadamente mil mercadorias”, total 965. “A previsão é que o Governo informe as entidades locais e os registos desta informação e possam iniciar processos de regularização“.

Apesar de o Governo ter concordado que este montante de propriedade não corresponde à instituição, a verdade é que é uma pequena quantidade se o número total de mercadorias não registradas for levado em consideração.

O total de bens não registrados é de 34.961, dos quais 20.014 são templos ou instalações complementares e 14.947 não estão relacionados a esses usos.

Este mês, o Conselho de Ministros enviou ao Congresso a lista dos bens imóveis registados pelo entre os anos de 1998 e 2015.

Durante esse período se apropriou de várias propriedades sob a proteção do Lei de hipoteca do tempo de José María Aznar.

Total, o número sobe para 34.961 bens, dos quais 20.014 são templos da igreja dependências católicas ou complementares, enquanto 14.947 registrado não relacionado a esses usos. Ou seja, casas, terrenos, instalações…

O Presidente do Governo, Pedro Sánchez (i), e o da Conferência Episcopal, Juan José Omella. EFE

A Igreja deve devolver mil bens

Na última quinta-feira, Bolaños garantiu que estava “avançando” em comissão formado pela Igreja Católica e o Governo da Espanha para tratar da questão da mercadorias não registradas, e esperado ter resultados “o mais rápido possível”.

“Na comissão de ativos não registrados, o progresso está sendo feito e, portanto, esperamos ter resultados e a vamos anunciar o mais rápido possível“, disse o ministro.

O Ministro da Presidência não quis entrar em mais pormenores porque, como especificou, preferiu levar o negociações “muito discretamente”.

Esta segunda-feira, visto finalmente o resultado destas negociações, a Moncloa considera que a Igreja deve devolver menos de mil ativos de quase 40.000.


Source: Vozpópuli by www.vozpopuli.com.

*The article has been translated based on the content of Vozpópuli by www.vozpopuli.com. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!