A única clínica abortiva de Misisipi, centro del fallo del Supremo, tende a cerrar em julho

A clínica de Misisipi, no centro de la enviado do Tribunal Supremo que ha eliminado a proteção legal ao aborto em EEUU, seguirá este serviço ao menos tem que entrar em vigor em julho a proibição total que o estado lleva planeando implementação desde 2007.

Organização de Saúde da Mulher de Jackson é a única clínica que oferecia abortos no estado e seguirá abertamente a data de julho, quando se preve que o fiscal geral, Lynn Fitch, publica no boletim oficial a revogação do direito ao aborto que caiu no Tribunal Supremo de EEUU.

Esta publicação entrará em vigor automaticamente em um “ley resorte” aprovado em 2007, chamado porque está pensado para empezar a funcionar com a derrogação por parte do Supremo do precedente legal estabelecido em Roe contra Wade, que finalmente é produzido este viernes.

Este caso, conhecido popularmente como “Roe”, tem marcado desde 1973 a jurisprudência do país durante décadas, e establecía que a Constituição protege o direito de uma mulher a abortar.

Pese a revogação deste direito, a Coalizão para o Acesso ao Aborto de Misispi registrado em um que todas as citações que as mulheres do estado fizeram foram enviadas para o comunicado para abortar todas as datas válidas, pelo menos até 4 de julho.

“É irônico que o Tribunal Supremo revogue Roe contra Wade con un caso sobre Misisipi, que é o estado mais pobre da União e tem o prefeito por cento da população negra entre os 50 estados”, dijo Rob McDuff, un abogado que trabaja con el Centro para a Justiça de Misisipi, durante uma chamada com periódicos.

McDuff se refere ao hecho de que la mayoría conservadora del Supremo, inclui os tres jueces nomeados pelo expresidente Donald Trump (2017-2021), haya revocar “Roe” a raíz del caso “Dobbs contra Jackson Women’s Health”, en el que esta organização pidió que se elimina a proibição do aborto a partir das 15 semanas de gestação em vigor no estado desde 2018.

Muitos ativistas e defensores do direito ao aborto durante meses avisando de que a anulação da proteção legal ao aborto afetado desproporcionalmente às mulheres pobres, não pode pagar a viaje aos estados nos que permitirem interromper o embarazo.

El Supremo de EEUU derroga a proteção federal do direito ao aborto


Source: HuffPost Spain for Athena2 by www.huffingtonpost.es.

*The article has been translated based on the content of HuffPost Spain for Athena2 by www.huffingtonpost.es. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!