Ao menos 13 mortes em um bombardeio russo a um centro comercial de Kremenchuk com mais de 1.000 pessoas dentro

Ao menos 13 pessoas foram mortas e 50 resultaram em um bombardeio russo nesta tarde da mídia contra o centro comercial Amstor de Kremenchuk, no centro da Ucrânia. No dia em que se cumple o dia 124 de guerra, no momento do ataque dos mísseis, o abarrotado local albergaba a mais de 1.000 cidades, según ha denunciado o presidente Volodimir Zelenski.

De acuerdo con el testimonio de Zelenski, la cantidad de víctimas “es imposible de imaginar”, como ha apuntado en su perfil de Telegram. Las imagens que ha compartilhado ha mostrado durante horas uma enorme cortina de humo negro e fuego em todo o edificio. O incendio que se extinguiu antes da queda de la noche, lo que deu passo para as tareas de búsqueda de supervivientes y víctimas bajo el amasijo de escombros.

Dimitro Lunin, jefe militar de la región de Poltava, a la que pertenece Kremenchuk, asseguró que el enclave “es un lugar civil al que ucranianos pacíficos vienen a comprar. ¡Está cada vez mais claro que o objetivo da Rússia é o genocídio dos ucranianos!”, expuesto Lunin a um meio local.

Zelenski, por su parte, también cargó contra Rusia, al que llama “la organización terrorista más grande del mundo”, como responsável de una matanza. Esta, según el líder ucraniano, respondeu únicamente a “un intento de la gente de vivir una vida normal, lo que enfurece mucho a los ocupantes. Rusia continua atribuindo sua impotência contra los ciudadanos comunes”. “Es inútil esperar adecuación y humanidad de su parte”, ha añadido en sus redes, assegurando que este gran local comercial no tiene “ningún valor estratégico ni peligro” para Moscú.

Ataque russo contra um centro comercial lleno de civiles em Kremenchuk

O periódico e investigador de Nações Unidas Leticia Álvarez publicou um vídeo da zona instantes después de que impactou os mísseis russos: “Poltava (la región a la que pertenece Kremenchuk) es un eixo, un centro para refugiados de outras zonas como Járkiv, organizaciones internacionales también tienen bases allí, ONGs…”. “Está alejado del frente. Allí paran, paramos, muchas veces para comprar material que não se encuentra em zonas más castigadas”.

Este é o ponto atacado:

Nos últimos quatro meses de guerra, a Rússia bombardeou vários centros comerciais de pontos comerciais em Kiev, ou em Járkov, ambos em país e marzo, como em diversos países, vítimas e suas vítimas. Em todos os casos, assim como em outros bombardeios sobre hospitais e teatros, o Kremlin acusou a Ucrânia de usar as instalações para esconder mísseis.

La próxima en el Donbás sigue contra anzando, ahora Lisichansk

O bombardeio sobre a cidade central de Kremenchuk, de uns 217.000 habitantes, ligando para a Rússia é um passo para certificar sua ocupação da região de Lugansk, com semanas de intensos combates em cidades como Severodonetsk, ya en manos de Moscú.

Neste contexto, durante o voo dos ataques sobre Kiev, a capital ucraniana, na prévia da Cumbre da OTAN em Madri, os aliados ocidentais debatiram um prefeito de proteção militar de suas fronteiras e novas ajudas na Ucrânia. Em Donbás, o grande objetivo passou para ser Lisichansk, o último bastião ucraniano na região de Lugansk e a porta de entrada para a vecina Donetsk.

“Está com a intenção de bloquear a cidade desde o início, destruindo todo o que pode ser feito com sua artilharia e sistemas de fogo de volea”, explícito o governador de Lugansk, Serhiy Gaidai.

El mandatario ucranio denunciou que o martilleo inimigo destruiu ya um grande numero de viviendas, edificios administrativos, infraestructura industrial y civil y dos iglesias. O mismo ocorre nas localidades adyacentes, que são atacadas de Popasna, uns 40 quilômetros ao sul.

Según fuentes militares, “el asedio de Lisichansk tiene lugar por cinco direções”, comentou a televisão russa Rodión Miroshnik, embaixador de los separatistas de Lugansk en Rusia. O objetivo é tomar la ciudad a finales desta semana, aunque las milicias separatistas reconocen que los soldados ucranianos “responden y resisten”.

Urgência econômica para a Rússia

Também este lunes y ante los ecos de la inminente cumbre de la OTAN, a Rússia entrou em suspensão de pagamentos por primera vez em cien años al passar o periodo de gracia para el abono de cerca de 100 milhões de dólares em conceito de juros de su deuda soberana, segun Bloomberg.

El mismo medio explica que esta situação se considera um evento de suspensão de pagos e é a “culminación de las sanciones occidentales cada vez mais severas que han bloquear as vias de pago a los creedores extranjeros”. “É um sinal sombrio de conversão rápida do país (Rússia) em um meio econômico, financeiro e político”, foi pontuado pela agência.

Desde Moscú o relato, evidentemente, é o contrário. El Ministerio de Finanzas defende a passagem de jueves que já foi cumplida em sua totalidad com as obrigações de serviço da deuda estatal da Federação Rusa. A carta informava que ingeriu 12.510 milhões de rublos, equivalentes a 234,9 milhões de dólares, a depositária nacional que atua como agente de pagamento dos eurobonos.


Source: HuffPost Spain for Athena2 by www.huffingtonpost.es.

*The article has been translated based on the content of HuffPost Spain for Athena2 by www.huffingtonpost.es. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!