Constituição dos EUA vendida em leilão por 43,2 milhões de dólares 1Foto: Instagram / Sothebys

Uma das raras cópias da primeira edição impressa da Constituição dos Estados Unidos foi vendida hoje na casa de leilões Sotheby’s em Nova York por 43,2 milhões de dólares, que é a maior quantia realizada em leilões de um documento ou livro.

O comprador é o fundador e diretor executivo do fundo de hedge multinacional “Citadel”, Kenner Griffin, que anunciou que emprestará o documento ao museu de Bentonville, Arkansas, onde ficará exposto por algum tempo.

No leilão, Griffin conseguiu vencer um grupo de 17.000 entusiastas de criptomoedas, que conseguiram arrecadar dinheiro em todo o mundo para tentar comprar a Constituição.

“A constituição é um documento sagrado que concede direitos a todos os americanos e a todos os que aspiram a sê-lo. É por isso que meu objetivo era garantir que esta cópia estivesse disponível a todos os americanos em nossos museus e outros locais públicos”, disse Griffin, AP relatado.

A porta-voz do Museu de Bentonville, Olivia Walton, disse que foi uma honra ter a oportunidade de exibir um dos documentos mais importantes da história americana.

O museu foi fundado em 2011 por Alice Walton, à espera do fundador do “Walmart”, Sam Walton.

O documento que Griffin comprou hoje é um dos 13 exemplares conhecidos da primeira edição da Constituição americana e um dos dois que são propriedade privada.

Foi vendido pela última vez em 1988, quando o colecionador Howard Goldman o comprou por US $ 165.000.

O recorde anterior para um livro ou manuscrito era de 1994, quando Bill Gates comprou o “Codex Leicester” de Leonardo da Vinci por 30,8 milhões de dólares.