“Durante as férias vacinamos as crianças”


Silvio Brusaferro, presidente do Istituto Superiore di Sanità, porta-voz do Comitê Técnico Científico (Cts) em entrevista ao Corriere della Sera ele contém em três palavras as recomendações que podem nos levar a uma nova fase de controle da epidemia: “Prudência, conscientização, confiança”.

O governo acaba de lançar um pacote de medidas restritivas que devem nos acompanhar até a porta de saída da atual situação crítica. O que é o pivô?

«Nenhum – responde Brusaferro – prevalece sobre o outro, em termos de importância. É o conjunto de medidas que convoca cada cidadão para um grande sentido de responsabilidade. Mesmo a flexibilização da quarentena para as pessoas vacinadas com maior cobertura (três doses ou duas se não tiverem decorrido 120 dias) e que tenham contacto com sujeitos positivos, apela ao bom senso na gestão dos nossos comportamentos. As precauções para eles? Use sempre a máscara Ffp2, para maior segurança, evite aglomerações, tome cuidado se estiver próximo de pessoas fragilizadas e chegue ao teste de negatividade. Isso significa viver a liberdade com consciência”.

O presidente do Instituto Superior de Saúde explica que «O crescimento dos casos é claro e muito rápido. Somos mais de 600 positivos por 100 mil habitantes nos últimos 7 dias. É um sinal claro. A atividade diagnóstica é intensa. Cerca de um milhão de testes por dia – uma capacidade muito alta para detectar pessoas infectadas. Os jovens são os mais afetados. Eles são dados de acordo com o resto da Europa. A curva da epidemia ainda é ascendente ».

No entanto, a porcentagem de vacinados com três doses também aumenta. «Mais de 60% da população para a qual o recall é prescrito – explica Brusaferro à Corsera – recebeu o reforço. Estamos falando de 19 milhões de pessoas. Sim, são números muito satisfatórios e não tenho dúvidas de que vão aumentar. As pessoas entenderam que a vacina é uma ferramenta fundamental”.

O que sabemos sobre a variante Omicron? «Tudo – responde o presidente do Instituto Superior de Saúde – sugere que esta variante terá se tornado largamente dominante em meados de Janeiro. Atualmente o campo está competindo com a variante Delta, em relação à qual é muito mais transmissível, mas aguardamos dados mais sólidos para entender se é menos perigoso em causar doenças graves e exigir hospitalização. No entanto, sabemos que três doses da vacina, embora não protejam completamente contra a infecção, evitam as complicações da Covid. Se não houvesse vacinas, hoje estaríamos numa situação dramática».

Crianças e jovens são os mais afetados. «Espero – responde o porta-voz do CTS – que durante estas férias os pais, seguindo as indicações dos pediatras, levem as crianças aos centros de vacinação. É importante mantê-los protegidos do risco de Covid. A retoma da escola é iminente e é bom que os mais pequenos possam regressar aos bancos bem equipados mesmo contra o vírus».

Dicas para o réveillon? “Evite lugares superlotados, especialmente dentro de casa. Melhor atender apenas se “equipado” com uma vacina. Lembre-se de sempre ventilar os cômodos, em qualquer caso, abrindo as janelas de vez em quando, e de usar máscaras quando recomendado. Meu desejo: a situação é complexa, mas podemos esperar um 2022 mais tranquilo”.


Source: by www.diariodelweb.it.

*The article has been translated based on the content of by www.diariodelweb.it. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!