“Eu apoio as vítimas de abuso, mas não posso me alegrar com a destruição de outras pessoas” – diferente

Smaragda Karydi: “Eu apoio as vítimas de abuso, mas não posso me alegrar com a destruição de outras pessoas”

Smaragda Karydi falou sobre a pilha de reclamações sobre assédio, mas também sobre abuso verbal, físico e sexual no campo artístico.

Em um post no Facebook, a conhecida atriz notou, entre outras coisas, que ela pode não ter passado por nenhuma experiência traumática, mas “Apoio de todo o coração mulheres e meninos que sofreram qualquer forma de abuso”, acrescentando, no entanto, que ” Por outro lado, também não posso me alegrar com a destruição e aniquilação de outros. Eu entendo que não poderia ter acontecido de outra forma e estou muito triste por eles. Sinto muito. Isso é tudo que sinto. Arrependimento. E vergonha. “

“Encontramo-nos com alguns, caminhamos com alguns em paralelo e admirei outros pelo seu trabalho.
Mas o fato de ter tido uma colaboração muito boa com alguém não me faz questionar outro homem que por ele passou como mártir. Só não posso e não quero ir até o apedrejamento da praça para atirar uma pedra. De qualquer forma, é algo estranho para mim. “Eu só posso ficar surpreso com os momentos difíceis de todos”, acrescentou.

Smaragda Karydi também pediu àqueles que se referem anonimamente a incidentes que nos apresentam a todos como se vivêssemos em “120 dias em Sodoma” com orgias, drogas e comportamentos paranóicos que parassem de fazê-lo. É uma grande mentira e causa muitos danos. Quando todos gritarmos juntos, aqueles que realmente precisam ser ouvidos não serão ouvidos. “E não haverá justiça”, disse ele.

O texto completo de Smaragda Karydi:

Quando eu estava no terceiro ano do National Drama, um colega nosso (que provavelmente saiu no processo porque não o encontramos novamente há anos) em uma cena de grupo de “Summer Night Dream” na classe de George Michaelides , fez de tudo para roubar a atenção de quem tocava em primeiro plano, fazendo o que chamamos no teatro de “chuva leve”. Ou seja, você é indiferente à história que todos contamos juntos porque está basicamente interessado em que o público preste atenção em você. Quando Michailidis comentou com ele, meu colega disse que acreditava que o que estava fazendo era legal e que o teatro era uma arena de qualquer maneira. Houve silêncio. Todos nós ficamos incrivelmente chocados. O ensaio parou e Michailidis conversou muito tempo conosco sobre o motivo de tudo isso estar errado. Foi muito triste encontrar tal cinismo evidente em um homem tão jovem, naquela idade em que geralmente se tem o impulso e o apetite para tornar o mundo um lugar melhor.

Agora, crianças pequenas que querem se envolver no teatro me perguntam. Eles vêem todos esses choques que vêm à tona e ficam desapontados. E eles estão com medo.

Tenho que dizer a eles que não tenham medo de nada. Teatro não é lama. Nem mesmo a cena da arena. A maioria das pessoas que trabalham no teatro não são monstros. Você vai conhecer pessoas ótimas e maravilhosas. Existem monstros como estão em toda parte. E se você encontrar monstros pelo caminho, não tenha medo. E não acredite neles. Você não precisa “sentar” em ninguém para um papel. Você nem precisa beijar aventais mijados. Esta não é a receita para o sucesso. Concentre-se apenas no seu trabalho. É cansativo. E não se defina. Não se compare com ninguém. Eduque-se, olhe dentro de você para o que você quer dizer e diga. É um jogo. Apenas leve as regras a sério e jogue limpo. O teatro é um lugar de partilha. Onde você abre e o outro abre para você. É onde você precisa se sentir seguro e confiante para se deixar nas mãos de outras pessoas. O todo. Com seu talento e sua inadequação. Com suas conveniências e fraquezas. Com seu charme e seu jeito ingrato. Não esconda nada. O resultado mais bonito geralmente resulta de sua inadequação e fraqueza. Pessoas não são uma coisa só. Assim como os papéis interessantes que você desempenhará, eles não têm apenas uma dimensão. Eles não são apenas bons nem absolutamente ruins. É muito relaxante ter uma posição clara sobre tudo e muito reconfortante. É muito fácil ser fã e não incomoda. Contanto que você decida quem vai amar e quem vai odiar.

O que é certo e o que é errado. Eu gostaria de não ter contradições e que tudo ficasse claro dentro de mim.
Apoio de todo o coração mulheres e meninos que sofreram qualquer forma de abuso.
Acredito neles, aprecio-os e admiro-os pela coragem. Eu entendo como é difícil encontrar coragem para dar um passo à frente. Algumas dessas mulheres são minhas amigas e eu as amo. O teatro precisa de pessoas corajosas e não descaradas. Generoso. No palco eles deixam espaço para o outro e o ajudam a melhorar. Não de personalidades narcisistas que extraem força da humilhação dos outros. Apoio as pessoas que assumem responsabilidades e saem com um nome para reclamar de algo injusto que pesa sobre eles e que assim abre o caminho para outros que não tinham voz para serem ouvidos. E eles devem parar de ter medo. Fazemos um trabalho que escolhemos por amor. O medo não tem lugar aqui.

Por outro lado, não posso nem me alegrar com a destruição e aniquilação de outras pessoas. Eu entendo que não poderia ter acontecido de outra forma e estou muito triste por eles. Sinto muito. É tudo o que sinto. Arrepender. E constrangimento. Encontramo-nos com alguns, andamos com alguns em paralelo e admirei outros pelo seu trabalho. Mas o fato de eu ter tido uma colaboração muito boa com alguém não me faz questionar outro homem que por ele passou como mártir. Só não posso e não quero ir até o apedrejamento da praça para atirar uma pedra. De qualquer forma, é algo estranho para mim. Eu só posso ficar pasmo com os momentos difíceis de todos.

Sei que posso ter essa compostura porque ninguém jamais abusou de mim e não sinto dor ou raiva. Mas o fato de eu, fora de posição, caráter ou apenas por sorte, não ter deixado espaço para alguém me tratar assim não significa que eu não saiba o que está acontecendo ao meu lado. E o quanto meus colegas sofreram com comportamentos inaceitáveis.

Mas a questão não deve ser pessoal, porque sempre haverá alguns que abusarão do poder.

É da natureza humana. E é por isso que acho que tudo o que começou não deve ser reduzido a um acerto de contas, mas a ver como uma oportunidade para que leis e regras entrem para muitas coisas. E devemos exigir essas regras e leis. Do Estado.

Mas as leis que devemos ter certeza são obedecidas.

Porque, como é bem sabido na Grécia, isso não é evidente.

E as leis devem ser obedecidas para proteger o mais fraco de nós.

Aqueles que não têm sorte, nem caráter, nem posição para se defender. Os fortes encontram um caminho por conta própria.

Além disso, agora não é o momento de aproveitar a oportunidade para acusar publicamente qualquer colega que geralmente nos incomodou no trabalho. Este não é o significado de MeToo e não vamos nos desviar do objetivo.

E peço àqueles que se referem anonimamente a incidentes que nos apresentam a todos como se vivêssemos “120 dias em Sodoma” com orgias, drogas e comportamentos paranóicos que parem de fazê-lo. É uma grande mentira e causa muitos danos. Quando todos gritarmos juntos, aqueles que realmente precisam ser ouvidos não serão ouvidos.
E não haverá justiça. Não precisamos menosprezar um assunto tão sério em fofocas ou outros expedientes políticos ou pessoais. E não vamos mandar as pessoas saírem e falarem do que aconteceu com você, saia agora, diga o que sabia, tome uma posição. Quando e se alguém vai falar é uma decisão pessoal dele e devemos deixar amadurecer o que ele tem a dizer. É um momento muito difícil para as vítimas e muito difícil para aqueles que estão sendo acusados. Devemos respeitá-la.

Do contrário, jogamos todos juntos no meio da orquestra, cristãos com leões, nós espectadores com sede de sangue, sentamo-nos nas arquibancadas mostrando com o dedo quem deve viver e quem deve morrer.
E então a cena se torna o que não queríamos desde o início. Arena.
Porque o teatro, como disse meu querido amigo Alkis Kourkoulos, não precisa de nós para existir.
Mas precisamos disso.

Fonte: lifo.gr


Source: διαφορετικό by www.diaforetiko.gr.

*The article has been translated based on the content of διαφορετικό by www.diaforetiko.gr. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!