O excesso de peso desaparece sem proteína


Constantemente ouvimos falar de experimentos que falam sobre os benefícios de uma dieta específica, mas geralmente são experimentos com animais. E aqui estão os funcionários Universidade de São Paulo experimentado em pessoas – eles queriam saber se haveria algum benefício se eles se limitassem a proteínas.

Os pesquisadores dividiram duas dúzias de voluntários em dois grupos. Alguns seguiram uma dieta regular por 27 dias em termos de proporções de proteínas, gorduras e carboidratos, mas apenas na alimentação havia 25% menos calorias do que costumavam consumir. Outros receberam a mesma quantidade de calorias de sempre, mas tinham 10% menos proteína na alimentação; a quantidade de proteína ingerida foi reduzida para que uma pessoa recebesse 0,8 gramas de proteína por quilograma de seu peso corporal.

Os voluntários estavam com síndrome metabólica, ou seja, estavam acima do peso, pressão alta e óbvias anormalidades no metabolismo – níveis elevados de açúcar e lipídios no sangue. Em um artigo de revista Nutrientes diz-se que todos os participantes do experimento perderam peso aproximadamente igualmente, a pressão arterial diminuiu, o nível de açúcar e gorduras no sangue também caiu.

É importante que ambas as dietas – e aquela que limitava calorias, e aquela em que, com o mesmo número de calorias, havia simplesmente menos proteínas – funcionassem na mesma direção. Esta é outra evidência a favor do fato de que é importante não o quanto você come, mas o que exatamente você come. Aliás, a restrição proteica foi ainda mais benéfica em alguns aspectos: a sensibilidade dos tecidos à insulina aumentou 62,3% em uma dieta com baixo nível de calorias e 93,2% em uma dieta com baixo teor de proteína. A sensibilidade à insulina determina como os tecidos irão absorver a glicose do sangue, ou seja, quanto maior a sensibilidade à insulina, menor a probabilidade de ter açúcar elevado no sangue e diabetes.

Obviamente, a falta de proteína de alguma forma forçou o corpo a recorrer às reservas de gordura e ao mesmo tempo gastar carboidratos com mais vigor. Os pesquisadores não estudaram em detalhes os mecanismos fisiológicos e moleculares que podem estar em ação aqui. Mas podemos nos lembrar de um artigo que escrevemos há cerca de um ano; falou sobre três aminoácidos que você deve comer menos para um metabolismo mais saudável. Experimentos com aminoácidos foram realizados em camundongos, mas os autores desse trabalho também mencionaram alguns dados médicos que indicam que os resultados dos experimentos com camundongos podem ser bastante aplicáveis ​​a humanos.


Source: Автономная некоммерческая организация "Редакция журнала «Наука и жизнь»" by www.nkj.ru.

*The article has been translated based on the content of Автономная некоммерческая организация "Редакция журнала «Наука и жизнь»" by www.nkj.ru. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!