O Talibã quebrou suas promessas – Napi.hu

No sábado, as forças de segurança do Taleban dispersaram violentamente uma manifestação de mulheres na capital afegã, onde exigiram trabalho e meios de subsistência, e protestaram contra a restrição de seus direitos. As forças de segurança do Talibã atiraram para o ar, levaram várias mulheres para as lojas próximas e as espancaram com rifles e paus. Isso aconteceu dois dias antes do aniversário de um ano da tomada do poder pelo Talibã.

O serviço de relações exteriores da UE enfatizou: a liderança talibã no Afeganistão privou as mulheres do direito de estudar e as está expulsando da vida econômica e pública. Ele desmantelou as salvaguardas destinadas a proteger as mulheres da violência e do casamento forçado, e a violência doméstica está aumentando novamente.

Segundo a UE, o Talibã quebrou suas promessas ao povo afegão e à comunidade internacional de negociar uma solução para o conflito afegão de décadas. A população vivencia violações institucionalizadas e sistêmicas de seus direitos econômicos, sociais, culturais, civis e políticos. Violações e abusos incluem execuções extrajudiciais, prisões e detenções arbitrárias, tortura, maus-tratos e intimidação. O Talibã também viola a liberdade de imprensa, reunião pacífica e associação – o MTI cita o comunicado.

Há uma grande escassez de alimentos

O serviço de relações exteriores da UE também chamou a atenção para o fato de que quase metade da população afegã sofre com a escassez de alimentos. A UE forneceu mais de 300 milhões de euros em ajuda humanitária para manter os serviços básicos, que são prestados com a ajuda de parceiros da ONU, organizações locais e internacionais e ONGs.

A UE exortou a liderança talibã a permitir o diálogo com a comunidade internacional e a cumprir as suas obrigações no domínio da luta contra o terrorismo.

“Se isso não acontecer, a instabilidade só aumentará no país e o Afeganistão ficará cada vez mais isolado”, alertou o serviço de relações exteriores da UE.

Os radicais tomaram o poder no Afeganistão depois que os Estados Unidos e seus aliados retiraram suas forças militares do país. Desde então, a crise humanitária também se aprofundou, porque os países ocidentais – assim como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional – suspenderam o desembolso de ajuda, e os Estados Unidos congelaram as contas do banco central afegão. De acordo com um relatório da ONU em julho, pelo menos setecentos civis foram mortos e mais de 1.400 feridos desde o ano passado, apesar da diminuição do número de conflitos armados no país.


Source: Napi.hu by www.napi.hu.

*The article has been translated based on the content of Napi.hu by www.napi.hu. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!