Semana que vem: um projeto de lei que aumentará a proteção das árvores em todo Israel

O plenário do Knesset aprovará na próxima semana em uma leitura preliminar, pouco antes de Tu B’Shvat, um projeto de lei do presidente do lobby ambiental do Knesset Yurai Lahav correu (Existe um futuro), que visa aumentar a proteção das árvores em Israel.

O projeto de lei foi escrito em colaboração com a Human, Nature and Law Organization e propõe aumentar a transparência ao público sobre o corte planejado de árvores, colocando uma placa nas áreas onde o corte está planejado, para que os moradores possam recorrer.

Ao mesmo tempo, a lei propõe melhorar a regulamentação dos procedimentos de planejamento e construção, avançando na fase de emissão do parecer do oficial florestal e, caso não seja possível realizar plantios alternativos, as taxas de abate de árvores serão transferidas para um fundo especial.

Lahav Herzno disse: “As árvores são parte da solução crítica para a crise climática. Protegê-las é basicamente nos proteger”. Av. Amit Bracha, CEO da Adam, Teva VeDin, acrescentou: “Cerca de 300.000 árvores são derrubadas todos os anos em Israel. As árvores ajudam a absorver o dióxido de carbono, reduzir a poluição do ar, baixar as temperaturas, criar sombra, absorver a água da chuva e evitar inundações”. o público se tornará pela primeira vez um parceiro na luta para evitar amputações e obrigará o Estado a agir nesse sentido.”

Outro projeto de lei ambiental foi apresentado por um MK Gabi Laski (Meretz), e busca remover a confidencialidade da EPA. Se a proposta se tornar lei, todos os projetos e acordos assinados pela EPA passarão a ser transparentes ao público, inclusive o controverso acordo Med Red, que trata do transporte de petróleo por Israel, assinado pela EPA “A nos Emirados Árabes Unidos e seus detalhes ainda não são conhecidos.

Instalações da EPA em Ashkelon (Foto: Reuters)

MK Lasky disse ao Maariv: “A EPA não apenas teve um histórico negativo de danos graves ao meio ambiente, mas também recebeu uma permissão para trabalhar no escuro. Não há razão em 2022 para uma empresa do governo operar sem transparência. O fato de que a EPA se absteve de publicar os detalhes do acordo com os Emirados, apesar dos riscos ambientais, à saúde e aos danos ao turismo e aos recursos hídricos, é intolerável e viola o direito do público de saber. Proteção Ambiental Tamar Zandberg luta para implementar o acordo, mas ainda é tempo de abolir a confidencialidade da EPA como empresa governamental.


Source: Maariv.co.il – פוליטי – מדיני by www.maariv.co.il.

*The article has been translated based on the content of Maariv.co.il – פוליטי – מדיני by www.maariv.co.il. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!