“Variante Omicron menos severa, mas deve ser interrompida. Não faremos como Londres “


«Os dados britânicos indicam que o risco de acabar no hospital é de um terço em relação a Delta. Quanto à mortalidade ainda é precoce, não temos dados suficientes, mas esperamos uma redução semelhante. Alguns estudos mostram que a capacidade de replicação é maior na árvore respiratória superior (daí a contagiosidade), mas menor nos pulmões, onde ocorre o dano mais sério. A terceira boa notícia é que a imunidade mediada por células T – importante para proteger as pessoas infectadas com doenças graves – permanece bem por vários meses. ‘ A afirmação foi do coordenador da Comissão Técnica Primária e Científica do Menino Jesus Franco Locateli em entrevista ao Repubblica.

«Mesmo na Itália as hospitalizações estão crescendo menos que as infecções, em grande parte graças à vacinação. Da Grã-Bretanha vem mais um dado, o da eficácia da terceira dose: 88% na prevenção de hospitalizações “, sublinha Locatelli, que no entanto não desequilibra a tendência da pandemia em 2022.” Precisamos de uma bola de cristal “.

“Estamos em uma fase de crescimento quase exponencial das infecções”, especifica. “A incidência semanal por 100 mil habitantes mais que dobrou em 7 dias, passando de 350 para 783. Se é verdade que no dia 20 de dezembro o Istituto Superiore di Sanità estimou a Omicron em 21%, hoje estamos com valores mais altos para tanto pela contagiosidade quanto pela incubação mais curta », acrescenta Locatelli.

O presidente Macron anunciou semanas difíceis para os franceses. Para o ministro da Saúde britânico, por outro lado, temos que conviver com o vírus e nenhuma outra medida é necessária. “Eu absolutamente não esposaria a ideia de deixar o vírus rodar”, comenta Locatelli. “Mesmo que os dados dos pesquisadores britânicos mostrem que as hospitalizações são reduzidas a um terço com o Omicron, um aumento acentuado nas infecções teria um forte impacto no sistema de saúde. Mesmo com sintomas menos graves, um surto descontrolado levaria a um aumento nas hospitalizações e mortes. Na Itália, 1,3 milhão de pessoas com mais de 60 anos não são vacinadas. É um grupo de compatriotas que hoje se arrisca muito ».

A obrigação serviria? «É uma escolha da política porque tem não só saúde, mas também valores éticos e sociais. Sempre fui um defensor da vacina opcional. Mas agora como técnico de saúde digo que estão maduras as condições para a obrigação de responder às necessidades de saúde dos doentes com Covid ou com outras doenças », insiste.

Quanto à redução do isolamento, Locatelli comenta: «Os dados britânicos do Omicron indicam que 7 dias após o diagnóstico, 5-10% dos infectados mantêm a capacidade de infectar. Se o isolamento for reduzido de 10 para 7 dias, sendo os últimos 3 sem sintomas, mais um tampão negativo, não corremos grandes riscos e permitimos que muitas pessoas voltem ao trabalho, inclusive os trabalhadores da saúde ».


Source: by www.diariodelweb.it.

*The article has been translated based on the content of by www.diariodelweb.it. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!